Conto

O conto que eu te conto #1 {Farsas}

– Eu não disse que concordaria em fazer isso. – disse Nicole, irritada.

– E o que você está fazendo aqui? – George perguntou – Vamos, Nicole, confesse para si mesma que é isso que você quer. Você mesma disse que não quer ninguém estragando seu plano perfeito, não foi?

– Foi, mas…

– Então? É sua chance. É a chance da sua vida, da sua carreira, e você ainda nem se formou!

– Certo. – ela disse se dando por vencida – Vai ser só de mentirinha mesmo, né?

– Isso! Essa é minha garota!

– Eu não sou sua garota! – Nicole o repreendeu.

– É a garota da minha agência. – George disse empolgado – A garota que vai salvar a carreira de David Scott! Sem você, querida, estaríamos ferrados. Se você não fosse maior de idade eu lhe adotava como filha!

– Ora, deixa disso, porque eu… – Nicole foi interrompida pelo telefone tocando. George lhe pediu silêncio e atendeu.

– George Bosi falando. – pausa – Ora, claro! Mande-o entrar. – desligando o telefone, George, pôs-se de pé e se olhou no espelho, arrumando a gravata.

– Ele chegou? – Nicole perguntou nervosa.

– A-ham. Pronta?

– Sim. – ela respondeu sem ter certeza. Assistira a quase todos os filmes de David Scott, achava-o lindo, mas egocêntrico. Entretanto, era impossível não sentir-se nervosa. Ela o conheceria. Estaria frente a frente com ele. Nicole sentiu um súbito arrepio lhe subindo a espinha. Não. Não estava pronta para conhecê-lo.

Duas batidas na porta. E o coração de Nicole estava para sair pela boca.

– Passe. – disse George abrindo a porta.

– Bom dia. – desejou David.

Nicole cerrou a boca com a mão, pois um gritinho histérico quase lhe escapuliu. David Scott estava ali. E o perfume dele lhe enchia os pulmões.

– Bom dia. – respondeu George. – Vamos, sente-se. Onde está Pierre?

– Está acertando algumas coisas com os advogados. – respondeu, sentando-se. – Alguma noticia boa para mim?

– Ora, claro! – George exclamou empolgado, contornando a mesa para sentar-se em sua cadeira. Olhou para Nicole sentada no sofá e piscou para ela.

David ainda não percebera a presença de Nicole, e enquanto George explicava ao ator o plano, Nicole pensava se valeria a pena entrar na armação. Ela nunca fora atriz, e não saberia como agir frente às câmeras. E Douglas? Seu namorado. Esquecera-se de contar a ele. Provavelmente ele odiaria todo o plano. O que valia mais? Sua carreira ou um relacionamento de três longos anos de altos e baixos? Ela bem sabia a resposta, mas preferia pensar nisso depois.

Olhou para David. E então subitamente, como se sentisse o olhar de Nicole, virou-se para ela.

– Ela? – ele perguntou para George.

– Isso, ela mesma. Nicole Lawrence. Sua futura namorada.

David pôs-se de pé e caminhou até Nicole. Ela levantou-se trôpega e estendeu a mão trêmula para David, lhe sorrindo de forma nervosa.

– Prazer, Nicole Lawre…

– Certo, prazer. – ele disse ignorando o cumprimento de Nicole. Olhou fixamente para ela. – Quanto você tem de altura?

– Hã… acho que 1,72m, talvez.

– Não pode ser ela. – David disse olhando para George – Ela não combina comigo.

– Hã, desculpe, mas eu ainda estou aqui! – Nicole disse envergonhada demais para demonstrar indignação.

– Eu percebi! – David disse sorrindo para ela – Por que você não volta para o sofá, se senta e deixa os adultos conversarem, querida?

Nicole soltou um arfar contrariado e resolveu sentar-se.

– Desculpem o atraso. – disse um homem entrando na sala de George. – O que eu perdi?

– Pierre, quem bom que você chegou. Estamos em um impasse e precisamos de sua opinião. – George disse. Ele e David se puseram a explicar a ideia de Nicole para Pierre, o empresário de David.

– É ela, a moça? – Pierre perguntou.

– É.

– Olá, prazer. Pierre Chambers.

– Prazer, Nicole Lawrence. – ela disse cumprimentando Pierre.

– Quantos anos você tem, Nicole?

– Vinte e dois.

– Ainda é muito nova. – comentou David.

Pierre ficou analisando Nicole, dos pés a cabeça, deixando-a sem graça.

– Tive uma ideia! – George disse, vasculhando a gaveta de sua mesa. – Aqui! – ele disse mostrando uma máquina fotográfica. – Que tal vocês dois fazerem uma pose apaixonada? Eu fotogravo e nós vemos se vocês formam um bom casal.

– Por mim tudo bem – David disse dando de ombros. Levantou-se e puxou Nicole pela mão.

– Ei… – ela reclamou, mas David, já havia se abaixado para beijá-la.

Nicole ainda de olhos abertos, e empurrando David para longe, viu quando o flash disparou.

– Não, Nicole! – ralhou George – Você tem de beijá-lo. Querê-lo, e não evita-lo. Demonstre paixão.

Ainda beijando David tentou fazer o que George pedira. Fechou os olhos e deixou David lhe beijar. Tentou não se deixar levar, apesar do beijo lhe agradar. Tentou não esquecer-se de que aquele beijo era sem sentimento, mas suas mãos acariciavam o pescoço do ator, enquanto ele a puxava para mais perto. Mesmo de olhos fechados Nicole percebeu quando o flash foi disparado outra vez, e David também, se afastando instantaneamente.

– Olhe, vocês combinam, sim. – disse George analisando a foto tirada.

David e Pierre se aproximaram para ver também, e Nicole ainda estava atordoada, sem saber como agir. Tinha sido beijada por David Scott. Céus, ela tinha beijado um dos homens, atualmente, mais desejados do mundo!

– Olhe para isso. – disse David apontando para algo na foto – Ela é muito baixa. Repare em como me curvo. Sem chance.

– Ela está sem salto, David. – amenizou Pierre – Pense bem, ela representará uma “mudança” em sua vida. Precisamos de alguém diferente das loiras siliconadas com quem você é normalmente visto. Esse alguém tem de ser ela. É minha opinião.

– Ela se veste como uma secretária! – David exclamou.

Nicole que havia se controlado até o momento para não falar nada, não pode evitar ficar irritada.

– Pois essa secretária, aqui, foi quem teve a ideia de como consertar a idiotice que você cometeu. E eu não deixarei mais ninguém arruinar a minha ideia. Se você realmente quer manter sua carreira de ator é melhor concordar que eu faça parte do plano ou pode começar a procurar outras ideias, pois a minha eu venderei a outra agencia. – e com isso Nicole que antes estava controlada, pegou sua bolsa e saiu da sala. Como coração batendo forte, rápido. Podia ser a só raiva momentânea, mas o choque do beijo do ator ainda percorria seu corpo, deixando suas pernas trêmulas e a cabeça tonta.

Anúncios

2 comentários em “O conto que eu te conto #1 {Farsas}

Conte-me o que achou. Meu blog se alimenta de seus comentários!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s