Uncategorized

All Ends With Beginnings

Até onde minha cabeça me deixa alcançar, sempre fui uma criança sonhadora, curiosa, aventureira, falante.

Em alguma parte de minha vida, enquanto crescia, o medo do desconhecido afugentou meu lado aventureiro, e a timidez expulsou meu lado falante, mas curiosidade e a habilidade de sonhar continuaram em mim.

Tive muitos sonhos, criei muitas metas, planejei cada passo da minha vida, e ela me mostrou que não pode e nem quer ser comandada, e as metas/sonhos ser perderam pelo caminho.

Já desisti de muita coisa em minha vida, por medo ou simples desinteresse.

No final de 2009, quando comecei a escrever O Desconhecido, me reencontrei com meu lado aventureiro. De lá até hoje, nunca me dediquei , persisti tanto em um sonho. Mas a cada desafio, “derrota”, perda, eu percebia que me fortalecia, crescia como pessoa, como profissional.

Viver da literatura em um país onde a população lê em média 4 livros por ANO, parece loucura, mas nunca tive tão certa de que estou no caminho que me foi destinado.

Hoje estou a poucos passos do fim dessa jornada da publicação, e prestes a iniciar, a me tornar uma escritora oficialmente.

A responsabilidade que me pesa, assusta. Já não é apenas minha esperança, nem mais minhas expectativas. São minhas esperanças e minhas expectativas, mais as expectativas de cada pessoa que eu tive o prazer de receber apoio. Não é mais meu sonho. É nosso. Mas apesar do “friozinho na barriga”, a determinação segue ao meu lado.

Sei que há mais um longo caminho a perseguir, que o sucesso é resultado de muito trabalho, mas estou aqui, firme, forte, lutando até onde me é permitido, para transformar meu sonho em realidade.

Alguém já me perguntou se a criança que um dia eu fui se orgulharia do que eu me tornei, do que fiz. A resposta de todos é automática: Sim, claro!

A minha é: Claro que não!

A criança que um dia eu fui não sabe um terço do que eu sei. Não passou por nem um terço do que eu vivi. A criança que um dia eu fui não entendia das responsabilidades da vida, não havia conhecido o árduo caminho da vida.

A criança que um dia eu fui já quis ser médica, veterinária, estilista, arquiteta, professora, guia turística e tantas outras profissões que já nem lembro mais.

Mas a mulher que eu me tornei, a duras penas, aprendeu que o melhor caminho é aquele que você segue com amor. O melhor trabalho que você pode ter é aquele que te deixa feliz.

Passei muita parte de minha vida pensando no amanhã, e ainda faço isso às vezes, mas logo aprendi a trabalhar o agora, para garantir o tão sonhado amanhã.

2014 chega com muitas responsabilidades. Ele trás a renovação de meus sonhos, mais esperança para me reabastecer, mais expectativas para me fazer sonhar, mais fé.

Não me permito mais pensar no que ele pode me trazer; me concentro no que eu desejo para 2014, e continuo trabalhando…

Mas desejo, desejo que 2014 nos traga vitórias, novas conquistas, mais amor, sorte, e tudo que não tivemos em 2013.

Enquanto isso, foque nos seus desejos, no seus sonhos, e trabalhe para que ele se torne real. A alegria da realização é um sentimento que todo mundo deveria experimentar.

y0dnak.jpg

Foca-no-Projeto

Happy-New-Year-2014

Anúncios

Conte-me o que achou. Meu blog se alimenta de seus comentários!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s