Dicas Para Jovens Escritores

Passeando por blogs estrangeiros, encontrei esse post com dicas fantásticas para nós, escritores.

Os créditos do texto pertencem a Piluca Vega e Fernando Riquelme, via Páginatres.

****

“Escrever é um dom, uma técnica ou uma arte?

O escritor nasce, ou se faz?

Se escrever é um dom com o qual se nasce, temos que desenvolvê-lo, melhorá-lo e praticá-lo.

Se é uma técnica a desenvolver devemos aprender, exercitar, praticar e promover.

Tudo isso, cedo ou tarde, se tornará arte. A criatividade é o motor e a gasolina é perseverança. Continuar lendo “Dicas Para Jovens Escritores”

Anúncios

All Ends With Beginnings

Até onde minha cabeça me deixa alcançar, sempre fui uma criança sonhadora, curiosa, aventureira, falante.

Em alguma parte de minha vida, enquanto crescia, o medo do desconhecido afugentou meu lado aventureiro, e a timidez expulsou meu lado falante, mas curiosidade e a habilidade de sonhar continuaram em mim.

Tive muitos sonhos, criei muitas metas, planejei cada passo da minha vida, e ela me mostrou que não pode e nem quer ser comandada, e as metas/sonhos ser perderam pelo caminho. Continuar lendo “All Ends With Beginnings”

A Irreverência de Thiago Pethit

A primeira vez em que vi – e ouvi – algo de Thiago Pethit, foi através da MTV, pelo videoclipe Nightwalker, protagonizado por Alice Braga. De cara me encantei com a letra e som contagiante, a voz de Thiago e com a qualidade da música; diferente de tudo que havia escutado. Não demorou muito para que eu fosse atrás de seu trabalho.

Em setembro deste ano, Thiago lançou o videoclipe Moon, parte do álbum Estrela Decadente. Mais que um videoclipe: uma obra de arte. Continuar lendo “A Irreverência de Thiago Pethit”

O Zen e a Arte da Escrita

Ray Bradbury se tornou famoso pelo clássico livro Fahrenheit 451, que foi adaptado em 1966 por Fraçois Truffaut. Mas além disso, Ray publicou mais de 500 contos, romances, roteiros e poemas desde que sua primeira história foi publicada na revista Weird Tales, quando ele tinha apenas 20 anos.

Com tanto material escrito, quem melhor poderia nos ensinar o zen e a arte da escrita se não o próprio Ray Bradburry?

Quando li sobre este livro, sabia que precisava tê-lo.

Assim que decidimos começar a escrever, como hobby ou profissionalmente, toda e qualquer ajuda e/ou dica é sempre muito bem-vida. Vinda de um autor tão bem sucedido como o Sr. Bradburry, essas dicas são divinas. Continuar lendo “O Zen e a Arte da Escrita”

Os deuses, minha menina,
Zombam da nossa inocência,
Gostam da nossa ruína,
Mas não lhes falta decência:
Quando fecham uma porta,
Abrem outra logo adiante;
Se não vemos que está lá,
É que nossa vista é torta;
Nossa crença é que garante
Que enxerguemos não o que há,
Mas o que nos dita o sonho.
E o sonho, que é, senão
Um deus mui tolo e risonho
Que nos traz frio no verão
E calor na neve branca?
Abra os olhos, seja franca:
O que vê que não a agrada?
O que há de errado na vida?
Abra a tão porta sagrada
E verá que foi iludida

À Espera (Reino das Névoas by Camila Fernandes.)

O Mal do Amor

Neil Hilborn é um americano que vive em Minnesota. Em 2011 graduou-se com honras de Macalester College e desde então tem se envolvido no mundo da poesia e da escrita, fazendo parte de vários times que entram em competições de poesia. Ele sofre de transtorno obsessivo-compulsivo, um tipo de transtorno de ansiedade. As pessoas com TOC se sente continuamente obrigadas a repetir as ações e palavras. Continuar lendo “O Mal do Amor”